Prazer, Eu...Vulnerável


Karen Minatto

PRAZER, EU...VULNERÁVEL

Fiquei pensando em uma forma de começar esse texto e não vejo maneira melhor do que me apresentar. Primeiro, aquela apresentação mais básica que muita gente conhece, para depois trazer à tona uma parte minha que poucas pessoas têm acesso. Afinal, quem é a Karen Minatto?

Para quem gosta de Astrologia como eu, Escorpiana, nascida em 08 de novembro, com ascendente em Câncer, Lua em Libra com influência de Leão e Vênus em Libra.

Desde muito cedo carrego uma paixão pela leitura e por tudo o que os livros podem transmitir e ensinar. Admiradora da Filosofia e das questões existenciais e da vida, tenho uma mente analítica e reflexiva, que pensa, indaga, e busca explicações para assuntos profundos relacionados à existência, ao porquê das coisas, às relações, ao comportamento humano, e por aí vai. Tenho absoluta atração pelo que me faz pensar, refletir ou indagar. Focada e organizada, sempre sei aonde eu quero chegar.

Amo escrever. Quando começo perco a noção do tempo e me sinto inteira, realizada.

Sou intensa e acho a coisa mais sem graça do planeta viver as coisas pela metade, de forma rasa. Por outro lado, preservo e amo a liberdade. Deve ser por isso que tenho grande facilidade de respeitar o espaço alheio e de me colocar no lugar do outro.

Acredito na beleza de SER e defendo a ideia de que todos, absolutamente todos, têm o direito de ser como são. Somos seres ímpares, com caminhos, escolhas, e experiências distintas e são exatamente essas diferenças que tornam o relacionamento entre as pessoas tão sedutor e único.

Dentre as leituras que fiz nos últimos anos, estudar a vulnerabilidade foi extremamente gratificante e me permitiu, depois de um bom tempo, ter a coragem para, por meio de meus textos, mostrar um pouco de mim.

Quando falo em vulnerabilidade trago um sentido mais profundo do que apenas o se despir e mostrar quem se é, independente do resultado disso.

Vulnerabilidade, para mim, vai muito além. É você se olhar na frente do espelho e realmente enxergar quem tá ali, refletido. Aquela pessoa que tem um lado ótimo, cheia de virtudes e méritos, mas que também tem um outro lado, não muito fácil de lidar e de digerir, o chamado lado sombra.

Como seres humanos que somos todos temos esse lado, que envolve nossas fraquezas, nossos medos, traumas, culpas, vivências negativas, e assim por diante.

Vulnerabilidade, compreende, além de nos permitir e de nos expor, nos enxergarmos inteiros e, mesmo vendo coisas que não nos agradam tanto, sermos capazes de reconhecê-las, de aceitá-las e, principalmente, de abraçá-las com carinho.

Na minha visão, a grosso modo, ser vulnerável é se amar em toda a sua complexidade, expressar quem se é, e se permitir viver experiências, mesmo que não estejamos preparados para elas, sem máscaras, e apesar de tudo.

E foi através da vulnerabilidade, de muita terapia, e de uma intensa conexão comigo mesma que hoje consigo me enxergar por inteira, com todos esses meu lados e vivências, mas também com muito carinho e aceitação.

Sei que não sou perfeita, e está tudo bem. Sei que nem sempre vou dar conta de tudo e não tem problema algum. É exatamente a consciência dessas fragilidades e imperfeições que me tornam humana e que possibilitam a minha melhora a cada curva, a cada acontecimento, a cada experiência.

Depois de muito pensar sobre isso e de olhar um pouquinho para dentro, eu decidi que queria utilizar a minha escrita para tocar as pessoas, o que, com muita alegria, eu consegui com o lançamento de Transbordando em tempos rasos. Só que eu queria mais, de um jeito diferente. Queria usar o meu amor pela escrita com um propósito, buscando uma conexão mais profunda com quem me lê.

E foi a partir dessa ideia que brotou esse novo projeto que intitulei como Crônicas da Vida.

A ideia inicial é semanalmente compartilhar por aqui textos que tragam à tona assuntos relacionados à realidade da existência, muitas vezes, mostrando um lado não tão simples e bonito de ser e de viver, mas, que se encarado e acolhido com amor é capaz de transformar vidas e visões.

Em alguns textos escreverei sobre assuntos específicos e complexos que envolvem todos nós como seres humanos, trazendo a minha opinião sobre o tema escolhido de acordo com o meu modo de enxergar a questão. Em outros, além dessa dinâmica, compartilharei experiências e vivências pessoais que tive sobre o assunto escolhido.

Agora, me sinto inteira, leve, e preparada para compartilhar algumas questões que contribuíram e muito para quem eu sou hoje e para o que me tornei. Porque sim, um dia eu fui o medo que me impediu de viver coisas incríveis; a culpa que me acompanhou e me acorrentou; os sentimentos represados e sufocados que me impediram de mostrar como eu era, o que pulsava aqui dentro e como eu me sentia; a menina dentro de um relacionamento tóxico; as dores que eu carreguei calada.

Como ser humano que sou ainda carrego algumas questões, mas hoje, tenho uma nova maneira de me relacionar com elas, com esse meu lado imperfeito, frágil e egoico.

Quando eu pensei nesse Projeto e resolvi compartilhar a ideia com algumas pessoas mais próximas, ouvi muito que eu poderia me expor e ser julgada. Sinceramente? Não me importo mais com isso, até mesmo porque as pessoas julgam de qualquer forma.

Não preciso e nem estou aqui para agradar ninguém. O que pensam sobre mim não me define e, tampouco, me limita.

E você? Está se permitindo ser vulnerável, hoje?

deixe um recado | voltar

Karen Minatto

E-mail: kmeifler_adv@yahoo.com.br

Pageviews desde agosto de 2020: 1266

Site desenvolvido pela Plataforma Online de Formação de Escritores