Ser mulher


Karen Minatto

Nós mulheres vivemos entre extremos.
Conseguimos ser sensíveis e fortes, delicadas e lutadoras.
Somos a marca da dubiedade e da totalidade de Ser.
Nunca alguém conseguiu ter tantas qualidades e facetas juntas. Desempenhar inúmeros papéis com perfeita maestria.
Somos várias em uma só, e uma só que se transforma em várias.
Somos filhas, somos irmãs, somos mães, somos esposas ou namoradas. A profissional, a dona de casa, a professora, a psicóloga, a amiga, a parceira.
Equilibramos todas essas formas de existir e de ser de forma esplêndida.
Lidamos com situações que só uma mulher pode entender.
Somos julgadas pela roupa, pelo nosso corpo, pela atitude, pelas vontades, pelo jeito de pensar e pelos sonhos que carregamos.
Somos apontadas por nossas escolhas, sejam elas profissionais, afetivas, ou de vida.
Lutamos por espaço, por respeito e por reconhecimento.
E o mais espetacular, é que apesar de tudo isso, conseguimos ser incríveis.
Não desistimos, não abandonamos o barco quando ele está prestes a afundar, não nos calamos, seguimos firmes e lindas, muitas vezes, inclusive, servindo de suporte para os filhos, amigos e parceiros.
Então, quando pensar em afrontar uma mulher, fazer pouco caso de seus sentimentos, julgá-la ou desrespeitá-la de alguma forma, nunca se esqueça: somos as únicas capazes de andar na corda bamba, que é ser mulher, de salto alto.

deixe um recado | voltar

Karen Minatto

E-mail: kmeifler_adv@yahoo.com.br

Pageviews desde agosto de 2020: 1249

Site desenvolvido pela Plataforma Online de Formação de Escritores