Inconstância (poesia)


Mara Lígia Biancardi

olhai o vento
que carrega a poeira
longe...
longe de mim, longe de vós,
longe de tudo
olhai o vento
que leva e traz
a chuva
molhada de suor
olhai o vento
que cultiva o milho
balançando o milharal
aqui, lá e acolá
senti o vento
na face
que leva as lágrimas
de um coração afogado

um furacão passou
tudo de ponta cabeça
nada ficou no lugar
depois, as coisas começam
a se arrumar
o corpo se conforta no sofá,
mas, amanhã, o vento volta
com mais força
e, de novo,
tira tudo fora do lugar


deixe um recado | voltar

Mara Lígia Biancardi

E-mail: mlbianca@uol.com.br

Pageviews desde agosto de 2020: 848

Site desenvolvido pela Plataforma Online de Formação de Escritores