A matemática não fecha


Cris Netto

Tô com falta de mim, de fazer o que gosto, de ler e escrever. De dar asas a minha imaginação, de viver uma vida inventada, de ser mil, sem deixar de ser eu mesma. Tô com excesso de boletos para pagar, de coisas para consertar, de emails para responder, de roupa para dobrar. Para cobrir o que me falta, preciso diminuir o que me sobra. A matemática não fecha. Por isso que sempre fui das humanas. Se a história não agrada, basta fechar o livro. E recomeçar. Enquanto que os números, eles fogem do controle, saem do caderno, da calculadora, do celular e pulam na nossa mente, tirando nosso sono e amarelando nossos sonhos.

deixe um recado | voltar

Cris Netto

E-mail: cristiane.snetto@gmail.com

Pageviews desde agosto de 2020: 2497

Site desenvolvido pela Plataforma Online de Formação de Escritores